terça-feira, 1 de abril de 2008

Self Love


Há muito pensava que o amor próprio dava forças para persistir em outros amores.
Hoje o peso da mudança o fez crer que o amor próprio é o mais importante, porém injusto às vezes.
Livrar-se-ia de dores maiores ao acreditar que podia amar-se e ser amado em intensidade igual ou maior.
Ele achava que existia algo.
No final, parece que não.



Self Love


I look around

I see couples happy

I look to me and i fell myself happy

I have someone

I can´t see me on your eyes

I have someone

Someone who don’t love me

Someone who i care about

Someone who makes my life have a sense

I find a letter, and i am not on there

The old love is closer than the past

The people says an old love can be a regret

Oh no, what am i doing?

I need my self-love

To fly like a bird

Stronger and decided

To look to you and get a decision

I love someone

My heart beats it on

I need a kiss

And i don’t feel it burns from you

Master

Give me the self-love

To be stronger, to loves me more

But what am i doing?

If i love you

And i feel my life is on you

I wanna care

Care for me

But i am not a loser

I will fight for you

Cause i believe

That this war isn´t over

Oh no, what am i doing?

I need my self-love

To fly like a bird, stronger and decided

And i am decided to fight for you

Against storms

And old loves

What am i doing?

I need my self-love

That´s a sacrifice

And i am on it for you

Cause i love you




O tempo dói no coração daquele sofredor que julgava aquela dor infame a cada lágrima derramada.
Muitas caíram.
Caíram.
Hoje pensou estar forte.
Não estava tanto quanto imaginava.
Não pelo mesmo motivo.
Mas pelo novo.
O novo se mostrou doloroso.
Sentiu raiva.
Não acreditava estar passando por aquilo novamente.
Porém deparou-se com momentos de lucidez.
Sentiu-se forte rapidamente.
Algo o fez crer que dores sempre existirão.
O que mudou foi a forma de lidar com as mesmas.
Queria a renovação plena.
A renovação pessoal.
Sentiu-se feliz.
Algo o fez forte denovo.
Era o seu amor próprio.

3 comentários:

Hérlon Fernandes Gomes disse...

Drummond escreveu:
"O primeiro amor passou...
O segundo amor passou...
O terceiro amor passou...
Mas o coração continua!"

O primeiro e necessário amor deve ser o amor-próprio, o resto é vaidade, é talvez um pouco de sorte; é às vezes querer depositar no outro o peso dos nossos fracassos... Mas o amor de outrem é, sim, necessário; mas não acontece sempre no tempo que desejamos, e sim no tempo que merecemos, ou no tempo que nos permitimos...
Clarice Lispector uma vez comentou, mesmo sem saber explicar direito, que escrever era uma maldição, mas uma maldição que, de certa forma, salva! Um grande abraço, amigo!

Juliana disse...

As dores sempre vão existir, por mais que fuja delas... o que vai mudar é o jeito com o que vc vai lidar com elas. Com o tempo e as experiências vamos ficando mais fortes e nossos muros vão crescendo e delimitando o que é mais importante, que é você.
Lindo texto. Bjo de sua esposa.

Anônimo disse...

Amigo, obrigao pelo post "a mim dedicado". (Rsrsrs)

Fiquei surpreso com o quanto corrobora com o que passo; Pertinente ao momento.

Jp...

FEEDJIT Live Traffic Map

FEEDJIT Live Traffic Feed